"O coração que agrada a Deus" - DR. CLAUDIO FREIDZON

01/05/2020

Tempo de leitura: 3 minutos

Somente a salvação e a nova vida que Jesus produz através de seu Espírito Santo mudam nossos corações.

A principal função do Espírito Santo é que nossa vida seja para a glória de Deus.

Antes de vivermos por nossas próprias vidas, com sede; tendo alcançado as coisas, mas mantendo um sentimento de vazio, porque buscamos no humano o que somente Deus poderia nos dar.

A salvação nos dá uma "nova natureza" e, com ela, uma percepção diferente do espiritual.

Antes de ignorarmos as coisas de Deus, éramos cegos para a realidade que o Senhor vive.

Para nós, Jesus era "uma tradição" que eles nos disseram quando crianças. Mas Jesus vive e vive em nossos corações.

Para entender esse conceito, é necessário “nascer de novo” e, para isso, precisamos conhecer Jesus e ter a vontade de convocar sua presença.

Tanto o homem como a mulher decidiram se distanciar de Deus e desobedecê-Lo, violando Sua Palavra [Gn. 3-1: 13] Do mesmo modo que eles foram capazes de escolher partir, Deus nos dá a provisão para escolher e o poder de se aproximar.

Salvação é algo que ninguém pode nos dar. Somente Jesus nos faz entender que devemos abrir nossos corações para a compreensão e o relacionamento que Ele nos dá.

O coração que agrada a Deus é aquele que acredita que Jesus é o Senhor e confessa que é salvo. Fé e oração são os caminhos que nos conectam e nos permitem conhecer a salvação.

Não devemos "morrer eternamente", porque Cristo morreu por nós.

A chave é ter fé ... crer no evangelho.

Aqueles de nós que são salvos têm o privilégio de Jesus habitar em nossos corações pelo Espírito Santo.

Em Mateus capítulo 9: 1 (KJV 60), diz: "Então Jesus entrou no barco, foi para o outro lado e veio à sua cidade."

O Senhor chamou Cafarnaum "a casa dele". Aquele era o lugar onde Ele entrou e estava à vontade, no entanto, seus habitantes acabaram "endurecendo" seus corações depois de testemunharem muitos milagres.

Podemos ter "dois tipos de coração" ... o coração "do tipo Nazaré", que representa uma atitude de rejeição e descrença, ou "tipo inicial de Cafarnaum", que representa aqueles que amam sua presença e acreditam nele.

Hoje, o Senhor continua a olhar para os corações que o recebem e crêem nele. Ainda hoje Jesus está procurando pessoas apaixonadas.

Nosso desejo deve ser orientado principalmente para que possamos agradar ao Senhor com nossa fé e na busca de um relacionamento sólido, construindo todos os dias o coração que agrada a Deus.